ASSEMBLEIA DE DEUS EM MINAS GERAIS

Crie seu próprio Site Grátis! Templates em HTML5 e Flash, Galerias em 2D e 3D, Widgets, Publicação do Site...

ESTUDO PARA NOVOS CONVERTIDOS

ESTUDO PARA NOVOS CONVERTIDOS

 

 

Estudo para novo convertido - 01/10

por PR. ANTONIO PACHECO

 

PR. ANTONIO PACHECO

Amigo(a) e irmão(ã)

Ao aceitar a Jesus como seu Salvador e Senhor você tomou a decisão mais importante de sua vida. Agora é necessário entender o que Deus fez por você. Também por meio destes estudos você aprenderá como usufruir das bênçãos que Deus lhe tem reservado.

A DECISÃO EM CRISTO

O maior desejo de Deus é ter um relacionamento pessoal conosco, porque fomos feito à sua imagem e semelhança:

“Criou Deus, pois, homem à sua imagem, ... homem e mulher os criou.” Gn 1:27

Contudo Adão, o primeiro homem criado, rebelou-se e perdeu a comunhão com Deus.

“O Senhor Deus, pois, o lançou fora do jardim do Éden, para lavrar a terra, de que fora tomado.” Gn 3:23

E nós herdamos as conseqüências de sua escolha, sendo condenados à morte:

“Portanto, assim como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porquanto todos pecaram.” Rm 5:12

Mas Deus demonstrou seu amor lançando sobre seu Filho a condenação que a  nós deveria ser dirigida:

“... Cristo morreu pelos nossos pecados, segundo as Escrituras” I Co 15:3b

“Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu Filho unigênito para que todo aquele que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna” Jo 3: 16

Crer significa ter como verdadeiras as afirmações das Escrituras.

Ao aceitarmos a Jesus o que nós fizemos foi concordar com a Palavra de Deus de que éramos pecadores e condenados a morte, mas que Jesus morreu em nosso lugar. Crendo e tendo confessado essa verdade verbalmente fomos salvos da morte:

"A saber:

Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo. Visto que com o coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação.” Rm 10: 9,10

A PROMESSA DE DEUS

No exato momento que aceitamos a Jesus cumpriu-se a promessa de Deus em nossas vidas e  recebemos a vida eterna e a filiação divina; um novo coração e o perdão de nosso pecado:

  • vida eterna

“E o testemunho é este, que Deus nos deu a vida eterna; e esta vida está no seu Filho. Aquele que tem o Filho tem a vida; aquele que não tem o Filho de Deus não tem a vida. Estas cousas vos escrevi a fim de saberdes que tendes a vida eterna.” I Jo 5:11-13

  • filiação

“Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus.” Jo 1:12a

  • novo coração

“Também vos darei um coração novo, e porei dentro de vós um espírito novo; e tirarei da vossa carne o coração de pedra, e vos darei um coração de carne.” Ez 36:26 

  • perdão

“Este é o pacto que farei com eles depois daqueles dias, diz o Senhor:

Porei as minhas leis em seus corações, e as escreverei em seu entendimento; acrescenta:

E não me lembrarei mais de seus pecados e de suas iniqüidades.” Hb 10:16,17 

O que Deus nos deu já nos pertence por meio da fé. A nossa vida cristã se desenvolverá sobre estas realidades espirituais.

“Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus nosso Senhor.” (Rm 6:23)

 

 

Estudo para novo convertido - 02/10

por PR. ANTONIO PACHECO

 

Amigo(a) e irmão(ã)

Deus deu-lhe uma nova natureza no exato momento em que você aceitou a Jesus. Esta nova natureza faz parte das realidades espirituais que agora operam em você.

No primeiro estudo foram citados diversos textos bíblicos contendo verdades concernentes a nossa salvação. Seu propósito foi demonstrar que nossa fé não está firmada em nossos próprios sentimentos, mas na garantia oferecida por Deus através de Sua palavra: a Bíblia.

A FÉ EM CRISTO

O primeiro passo de fé que demos foi o de aceitar a Jesus como Salvador e Senhor Fé é assim conceituada:

“Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que não se vêem.” Hb 11:1

A fé foi assim exercida: cremos no que a Bíblia disse e declaramos ser Jesus o Senhor. E o desenvolvimento da fé se dá estudando a Bíblia:

“Logo a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Cristo.” Rm 10:17

Assim, do mesmo modo como você exercitou sua fé para a salvação deve continuar em todos os aspectos de sua vida cristã.

“Ora, como recebeste a Cristo Jesus, o Senhor (pela fé), assim andai nele.” Cl 2:6

O TESTEMUNHO INTERIOR

Também é decorrente de nossa experiência de salvação o testemunho interior do Espírito Santo que nos transmite um senso de paz e certeza de filiação divina:

“Mas recebestes o espírito de adoção, baseados no qual clamamos:

Aba, Pai.

O próprio Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus.” Rm 8:15

Esta convicção interior demonstra que nossa vida foi transformada:

“Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo.” I Co 5:17

A NOVA NATUREZA

Você notará mudanças inexplicáveis em sua maneira de pensar e agir:, pois foi-lhe implantando uma nova natureza:

“Visto como o seu divino poder nos deu tudo o que diz respeito à vida e piedade, Pelas quais ele nos tem dado grandíssimas e preciosas promessas, para que por elas fiqueis participantes da natureza divina, havendo escapado da corrupção, que pela concupiscência há no mundo.” II Pd 1:3a,4

Como conseqüência dessa nova natureza, você sentirá:

  • crescente anseio de conhecer a Deus e sua Palavra

“desejai ardentemente, como crianças recém nascidas, o genuíno leite espiritual, para que por ele vos seja dado crescimento para salvação.” I Pd 2:2

  • desejo verdadeiro de guardar os mandamentos de Deus e ter uma vida transbordante

“Ora, sabemos que o temos conhecido por isto: se guardamos os seus mandamentos.” I Jo 2:3

  • crescente amor por aqueles que tiveram a mesma experiência que você teve, buscando comunhão com eles.

“Nós sabemos que já passamos da morte para a vida, porque amamos os irmãos.” I Jo 3:14

  • desejo de compartilhar essa experiência com outros.

“Porque não podemos deixar de falar do que temos visto e ouvido.” At 4:20

“Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus nosso Senhor.” (Rm 6:23)

 

 

Estudo para novo convertido - 03/10

por PR. ANTONIO PACHECO

 

Amigo(a) e irmão(ã)

A vida cristã é comparada a uma pequena semente que foi plantada. Alguns cuidados são requeridos para que ela possa crescer com vigor, superando seus inimigos naturais.

SUA VIDA DEVOCIONAL

O maior privilégio da vida cristã é ter comunhão com Deus, que é cultivado mediante a oração e o estudo da Bíblia.

A ORAÇÃO

Orar não é rezar ou recitar palavras decoradas, mas é falar com Deus como se conversa com um amigo, dizendo-lhe de nossos projetos, anseios e necessidades.

Este direito nos foi dado com base no sacrifício de Cristo no calvário. Por isso a oração deve ser feita em nome de Jesus:

“Até agora nada pedistes em meu nome; pedi, e recebereis, para que o vosso gozo seja completo.” Jo 16:24

Ao usarmos o nome de Jesus estamos reconhecendo que Deus é santo, que somos pecadores e que Jesus é o nosso mediador para com o Pai. Por isso temos confiança que recebemos o que pedimos.

  • A oração satisfaz a alma:

“Ó Deus, tu és o meu Deus, de madrugada te buscarei; a minha alma tem sede de ti;... .” Sl 63:1

  • A oração elimina estresse:

“Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e suplica, com ação de graça. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos em Cristo Jesus.” Fl 4:6,7

  • A oração fortalece contra a tentação e o pecado

“No demais, irmãos, rogai por nós, ... “... para que sejamos livres de homens dissolutos e maus;... “Mas fiel é o Senhor, que vos confortará, e guardará do maligno.” ( II Ts 3: 1-3)

A PALAVRA DE DEUS

A Bíblia é a palavra de Deus. Foi escrita por mais de 40 autores inspirados por Deus, com o objetivo de comunicar as verdades divinas. Ela divide-se em Velho e Novo Testamento, tendo por objetivo apresentar o Filho de Deus aos homens.

A leitura e meditação em suas verdades capacitam o cristão a ter comunhão com Deus e com os homens, por isso deve constituir-se em um hábito:

“Fui ao encontro da alva da manhã, e clamei; esperei na tua palavra. “Os meus olhos foram ao encontro das vigílias da noite, para meditar na tua palavra.” (Sl 119: 147, 148)

Você deve escolher uma hora e local apropriados. Convém ter à mão uma Bíblia, um dicionário, uma concordância bíblica e um caderno para anotações. A concordância é um livro que agrupa todas as citações bíblicas sob um mesmo tema, como: “amor”.

Convêm começar lendo o evangelho de João. e em seguida a primeira epístola de João. Estes livros contém uma linguagem simples e verdades profundas.

Ao fazer a leitura deve procurar anotar:

• pecados a abandonar
• promessas de Deus
• exemplos de vida
• advertências
• ensinos acerca de Deus
• outras lições
• aplicação para sua vida

Orando e estudando, você perceberá sua visão acerca de Deus sendo ampliada; sua fé fortalecida e sua esperança renovada.

“Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus nosso Senhor.” (Rm 6:23)

  

Estudo para novo convertido - 04/10

por PR. ANTONIO PACHECO

 

Amigo(a) e irmão(ã)

Desde que aceitamos Jesus deixamos de ser solitários, antes somos assistidos dia a dia pela ação soberana do Espírito de Deus em nossa vida. A ação Espírito muda nosso caráter.

SUA VIDA NO ESPÍRITO

Viver como cristão não é se submeter a um amontoado de leis e regras que devem ser cumpridas. Antes, esse viver se inicia com uma decisão pessoal ao lado de Jesus e se desenvolve com base na nova natureza que foi implantada em nós.

Esta nova natureza é assistida pela atuação do Espírito Santo, que é a terceira pessoa da trindade divina, conforme a promessa de Jesus:

“E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre;” Jo 14:16

PODER DO ESPÍRITO

O Espírito de Deus age em nós nos capacitando para sermos o que Deus deseja de nós:

“Não fostes vós que me escolheste a mim; pelo contrário, eu vos escolhi a vós outros; e vos designei para que vades e deis frutos, e o vosso fruto permaneça.” Jo 15:16

“Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio.” Gl 5:22,23

A concretização desse fruto em nossas vidas é feita mediante o poder capacitante do Espírito Santo:

“Mas recebereis poder ao descer sobre vós o Espírito Santo ...” At 1:8a

E quando recebemos o poder ficamos cheios do Espírito, que nos permite viver e direcionar nossa vontade segundo os propósitos divinos. E somos ordenados a buscar continuamente este poder:

“E não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução, mas enchei-vos do Espírito.” Ef 5:18

AÇÃO DO ESPÍRITO

O Espírito Santo atua em nós com o propósito de nos guiar em todo o desígnio de Deus:

  • para ensinar e fazer lembrar a Palavra de Deus:

“Mas o Ajudador, o Espírito Santo a quem o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto eu vos tenho dito.” Jo 14:26

  • para testificar de Jesus:

“Quando vier o Ajudador, que eu vos enviarei da parte do Pai, o Espírito da verdade, que do Pai procede, esse dará testemunho de mim;” Jo 15:26

  • para convencer o mundo do pecado, da justiça e do juízo:

“E quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo:” Jo 16:8

  • para guiar-nos em toda a verdade:

“Quando vier, porém, aquele, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá o que tiver ouvido, e vos anunciará as coisas vindouras.” Jo 16:13

  • para vivificar os nossos corpos mortais:

“E, se o Espírito daquele que dos mortos ressuscitou a Jesus habita em vós, aquele que dos mortos ressuscitou a Cristo Jesus há de vivificar também os vossos corpos mortais, pelo seu Espírito que em vós habita.” Rm 8:11

  • para nos ajudar em nossas fraquezas e interceder por nós:

“Do mesmo modo também o Espírito nos ajuda na fraqueza; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o Espírito mesmo intercede por nós com gemidos inexprimíveis.” Rm 8:26

CHEIO DO ESPÍRITO

Para que possamos usufruir do fruto do Espírito é necessário preencher algumas condições:

  • desejar ser cheio de justiça:

“Bem-aventurado os que têm fome e sede de justiça, porque serão fartos.” Mt 5:6

  • entregar a direção da vida a Cristo:

“Rogo-vos pois, irmãos, pela misericórdia de Deus, que apresenteis os vossos corpos por sacrifício vivo...”Rm 12:1

  • receber pela fé:

“... foi por obra da lei que recebestes o Espírito, ou pelo ouvir com fé.” (Gl 3:2)

  • viver em obediência:

“Ora, sabemos que o temos conhecido por isto: se guardamos os seus mandamentos.” I Jo 2:3

  • arrepender-se e confessar-se com Deus:

“Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda a injustiça.” I Jo 1;9

“Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus nosso Senhor.” (Rm 6:23)

 

Estudo para novo convertido - 05/10

por PR. ANTONIO PACHECO

 


Amigo(a) e irmão(ã)

Jesus disse a seus discípulos que fazer a vontade de Deus era para ele seu alimento, e, da mesma maneira, deve ser também o nosso, pois fomos criados para a glória de Deus.

A VONTADE DE DEUS

O cristão é abençoado com vida eterna e com vida abundante. Isso porque Deus tem um plano para cada um de nós:

“Eu é que sei que pensamentos tenho a vosso respeito, diz o Senhor; pensamentos de paz e não de mal, para vos dar o fim que desejais.” Jr 29:11

“E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.” Rm 12: 1

Como se observa, o propósito de Deus para conosco é de paz, realizando todos nossos ideais. E nos é dado uma garantia tríplice e progressiva que esse plano nos satisfará: é bom; é agradável, é perfeito, e ninguém seria capaz de propor algo melhor.

A realização desse plano está condicionado a nossa obediência aos mandamentos divinos.

OBEDIÊNCIA A DEUS

A obediência é uma atitude de submissão à vontade de Deus:

“Ora, sabemos que o temos conhecido por isto: se guardamos os seus mandamentos. Aquele que diz: eu o conheço, e não guarda os seus mandamentos, é mentiroso e nele não está a verdade.’  I Jo 2:3,4

Contudo, essa obediência não é uma atitude exteriorizada, mas procede de um coração que foi transformado pelo poder do novo nascimento.

Ela se realiza à medida em que vamos nos renovando pelo estudo da Bíblia, concordando com as verdades que nos são apresentadas, e colocando-as em prática.

A obediência é:

  • uma resposta nossa ao amor de Deus

“E nós conhecemos e cremos o amor que Deus nos tem. Deus é amor, e aquele que permanece no amor permanece em Deus, e Deus nele.” I Jo 4:16

  • uma prova do nosso amor a Deus:

“Aquele que tem os meus mandamentos e os  guarda, esse é o que me ama; e aquele que me ama, será amado por meu Pai, e eu também o amarei e me manifestarei a ele.” Jo 14:21

ÁREAS BÁSICAS

Existe algumas áreas básicas em que a obediência deve ser praticada:

  • Andar em santidade:

“Pois esta é a vontade de Deus, a vossa santificação; que vos abstenhais da prostituição.” I Ts 4:3

  • Ajudar o irmão:

“ Levai as cargas uns dos outros, e assim cumprireis a lei de Cristo.” Gl 6:2

  • Pregar o Evangelho:

“Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo;” Mt 28:19

  • Orar a Deus:

“não andeis ansiosos por coisa alguma; antes em tudo sejam os vossos pedidos conhecidos diante de Deus pela oração e súplica com ações de graças; e a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos pensamentos em Cristo Jesus.” Fl 4:6,7

“Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus nosso Senhor.” (Rm 6:23)

 

 

Estudo para novo convertido - 06/10

por PR. ANTONIO PACHECO

 

Amigo(a) e irmão(ã)

Na busca do amadurecimento cristão você notará que se trava uma luta interior onde uma parte de si deseja servir a Deus e outra tende a manter o mesmo padrão de vida anterior à conversão: é a chamada luta da carne contra o Espírito.

VENCENDO AS TENTAÇÕES

Ao ser salvo por Jesus Cristo, adquirimos uma nova natureza. Contudo, a velha natureza, o velho homem, as inclinações carnais, não foram removidas de nós:

“Porque, no tocante ao homem interior, tenho prazer na lei de Deus; Mas vejo nos meus membros outra lei que, guerreando contra a lei da minha mente, me faz prisioneiro da lei do pecado que está nos meus membros.” Rm 7:22-23

AS FONTES DA TENTAÇÃO

Existem três fontes distintas que se interagem, motivando as tentações: Satanás, o mundo e a carne. Mas a responsabilidade final por deixar-se tentar é nossa.

  • Satanás (o diabo) - ele é o acusador que, desde o primeiro até o último livro da Bíblia, aparece como o grande opositor aos propósitos divinos:

“... Ele (o diabo) foi homicida desde o princípio e jamais se firmou na verdade, porque nele não há verdade. Quando ele profere a mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira.” Jo 8;42b

  • O Mundo, referindo-se ao sistema em que as coisas são feitas alheios a vontade de Deus. Está afeto aos desejos, pensamentos e vontades naturais:

“Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não procede do Pai, mas do mundo,” I Jo 2:16

  • A Carne, que corresponde natureza que recebemos no ventre da nossa mãe, que se traduz em hábitos de vida, cultura, índole de caráter:

“Ora, as obras da carne são conhecidas e são: prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, ciúmes, iras, discórdias, dissensões, facções, invejas, bebedices, glutonarias, e cousas semelhantes a estas, a respeito das quais vos declaro, como já outrora vos preveni, que não herdarão o reino de Deus os que tais cousas praticam.” Gl 5:19-21

VENÇA AS TENTAÇÕES

A tentação nunca procede de Deus (Tg 1:13), e é importante sabermos que nunca vai além da capacidade humana de resisti-la, pois Deus provê livramento:

“Não vos sobreveio tentação que não fosse humana; mas Deus é fiel, e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças; pelo contrário, juntamente com a tentação vos proverá livramento, de sorte que a possais suportar.” I Co 10:13

Por isso a vigilância e a oração devem ser uma constante na vida cristã:

“Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca.” Mt 26:41

Os pecados cometidos devem ser prontamente confessados em atitude de arrependimento:

“Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça.” I Jo 1:9

“Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus nosso Senhor.” (Rm 6:23)

 

  

 

Estudo para novo convertido - 07/10

por PR. ANTONIO PACHECO

 

Amigo(a) e irmão(ã)

“Rendei graças ao Senhor, invocai o seu nome, fazei conhecidos, entre os povos, os seus feitos. Cantai-lhe, cantai-lhe salmos;, narrai todas as suas maravilhas.” Sl 105;1,2

Com esse convite o salmista nos chama a testemunharmos o que Deus fez em nós.

O TESTEMUNHO

Testemunhar é narrar o que Deus fez em sua vida. É expor os fatos em ordem cronológica, com clareza e veracidade. É demonstrar o poder transformador da graça divina.

Jesus constituiu a cada um de nós suas testemunhas:

“Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas ..., e até aos confins da terra.” At 1:8

SUA MOTIVAÇÃO

Falar do que Deus fez em sua vida traz inúmeros benefícios:

  • Cumpre a ordem divina;
  • Evidência de sua transformação;
  • permite-lhe evangelizar;
  • faz-lhe rever seus conceitos bíblicos.

COMO TESTEMUNHAR

Conte o que Deus fez em sua vida. Um bom testemunho é composto de três partes:

  • Noção sobre quem você era antes de aceitar Jesus Cristo como seu Senhor e Salvador;
  • Relato das circunstâncias que  motivaram a sua decisão a Cristo Jesus;
  • Testemunho das mudanças ocorridas depois que você aceitou a Cristo, fruto de sua nova natureza;

Um procedimento didático seria escrever o seu testemunho antes de o fazer a primeira vez, orando a Deus para dar-lhe sabedoria ao compartilhá-lo.

Evite usar termos próprio da igreja; transformá-lo em uma pregação ou usá-lo para dar conselhos.

ORDENANÇAS DIVINAS

O BATISMO

Jesus deixou um mandamento que se constitui em um poderoso elemento testemunhal - o batismo:

“Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado”. Mc 16:16

O próprio Cristo foi batizado por João:

“Então veio Jesus da Galiléia ter com João, junto do Jordão, para ser batizado por ele. Mas João o impedia, dizendo:

Eu é que preciso ser batizado por ti, e tu vens a mim?

Jesus, porém, lhe respondeu:

Consente agora; porque assim nos convém cumprir toda a justiça.

Então ele consentiu. Batizado que foi Jesus, saiu logo da água; e eis que se lhe abriram os céus, e viu o Espírito Santo de Deus descendo como uma pomba e vindo sobre ele; e eis que uma voz dos céus dizia:

Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo.” Mt 3:13-17

E a igreja primitiva o observou fielmente:

De sorte que foram batizados os que receberam a sua palavra; e naquele dia agregaram-se quase três mil almas;” At 2:38,41

O eunuco, que foi evangelizado por Filipe, em seguida a sua decisão ao lado de Cristo, foi batizado:

“... Eis aqui água; que impede que  seja eu batizado?

Filipe respondeu:

É lícito se crês de todo o coração.

E, respondendo ele, disse:

Creio que Jesus Cristo é o Filho de Deus.

Então mandou parar o carro, ambos desceram à água, e Filipe batizou o eunuco.” At 8:36b-38

O batismo representa a morte para o mundo (ao ser submerso nas águas) e a ressurreição para a nova vida (ao sair das águas). Ele é feito em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo (Mt 28: 19; Mc 16:15-16).

A CEIA DO SENHOR

Ao você ser batizado passa a fazer parte do corpo de Cristo - a Igreja. Com isso está apto a participar da Ceia do Senhor.

“Disse-lhe Jesus:

Em verdade, em verdade vos digo; Se não comerdes a carne do Filho do homem, e não beberdes o seu sangue, não tereis vida em vós mesmos. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia.” Jo 6:53,54

“Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus nosso Senhor.” (Rm 6:23)

 

Estudo para novo convertido - 08/10

por PR. ANTONIO PACHECO

 

O CORPO DE CRISTO

Ao recebermos a natureza divina fomos selados por Deus:

“no qual também vós, tendo ouvido a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação, e tendo nele também crido, fostes selados com o Espírito Santo da promessa, o qual é o penhor da nossa herança, para a redenção da possessão de Deus, para o louvor da sua glória.” Ef 1:13,14

Com o objetivo de sermos gradualmente cheios de Deus em nossas vidas:

“no qual todo o edifício bem ajustado cresce para templo santo no Senhor; no qual também vós juntamente sois edificados para morada de Deus no Espírito.” Ef 2:21,22

Esta experiência nos torna co-participantes de um mesmo corpo:

“Pois em um só Espírito fomos todos nós batizados em um só corpo, quer judeus, quer gregos, quer escravos quer livres; e a todos nós foi dado beber de um só Espírito.” I Co 12:13

Assim, fazemos agora parte de um agrupamento místico denominado corpo de Cristo:

“Porque assim como o corpo é um, e tem muitos membros, e todos os membros do corpo, embora muitos, formam um só corpo, assim também é Cristo.” I Co 12:12

“Ora, vós sois corpo de Cristo, e individualmente seus membros.” I Co 12:27

A IGREJA

Nesta realidade espiritual a qual estamos inseridos, Cristo Jesus assume posição de proeminência:

“... como também Cristo é a cabeça da igreja, sendo ele próprio o Salvador do corpo.” Ef 5:23b

“Grande é este mistério, mas eu falo em referência a Cristo e à igreja.” Ef 5:32

A expressão “igreja” tem três significados básicos:

  • o edifício, estrutura física onde se reúnem pessoas para adoração a Deus;
  • uma reunião ou uma assembléia de cristãos devidamente convocados;
  • a soma de todos os salvos em Cristo Jesus de todos os tempos, a assembléia universal dos santos.

Como estrutura física o termo igreja nunca é encontrado nas Escrituras.

Na igreja primitiva a igreja se reunia regularmente:

“E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam com alegria e singeleza de coração, louvando a Deus, e caindo na graça de todo o povo. E cada dia acrescentava-lhes o Senhor os que iam sendo salvos.” At 2;46,47

MEMBROS DA IGREJA

A responsabilidade de cada cristão é procurar uma igreja local na qual possa congregar, participando regularmente da ceia do Senhor.

Esta igreja deve ter as seguintes características básicas:

  • Tenha Cristo Jesus como Senhor:

“... como também Cristo é a cabeça da igreja, sendo ele próprio o Salvador do corpo.” Ef 5:23b

  • Tenha a Bíblia como regra de fé e prática:

“Toda Escritura é divinamente inspirada e proveitosa para ensinar, para repreender, para corrigir, para instruir em justiça; para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente preparado para toda boa obra.” II Tm 3:16,17

  • Tenha a atuação multiforme e soberana do Espírito de Deus:

“A cada um, porém, é dada a manifestação do Espírito para o proveito comum. Porque a um, pelo Espírito, é dada a palavra da sabedoria; a outro, pelo mesmo Espírito, a palavra da ciência; a outro, pelo mesmo Espírito, a fé; a outro, pelo mesmo Espírito, os dons de curar; a outro a operação de milagres; a outro a profecia; a outro o dom de discernir espíritos; a outro a variedade de línguas; e a outro a interpretação de línguas. Mas um só e o mesmo Espírito opera todas estas coisas, distribuindo particularmente a cada um como quer.” I Co 12:7-11

  • Seja obediente a ordem de Jesus em evangelizar o mundo:

“E disse-lhes:

Ide por todo o mundo, e pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado.

E estes sinais acompanharão aos que crerem:

em meu nome expulsarão demônios; falarão novas línguas; pegarão em serpentes; e se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e porão as mãos sobre os enfermos, e estes serão curados.” Mc 16:15-18

“Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus nosso Senhor.” (Rm 6:23)

  

 

Estudo para novo convertido - 09/10

por PR. ANTONIO PACHECO

 

Amigo(a) e irmão(ã)

A vida financeira do cristão deve estar debaixo do senhorio divino, assim como todas as outras facetas da vida. A boa administração dos recursos financeiros constitui objeto da mordomia cristã.

COMO PROSPERAR

Deus nos criou para sermos produtivos e por isso fomos vocacionados ao serviço.

“E quanto ao homem a quem Deus deu riquezas e bens, e poder para desfrutá-los, receber o seu quinhão, e se regozijar no seu trabalho, isso é dom de Deus.” Ec 5:19

1. TRABALHANDO

Antes do pecado entrar no mundo Deus já propusera ao homem trabalhar:

“Tomou, pois, o Senhor Deus o homem, e o pôs no jardim do Éden, para o lavrar e guardar.” Gn 2:15

Com o pecado foi agregado ao trabalho a maldição:

“... maldita é a terra por tua causa; em fadiga comerás dela todos os dias da tua vida.” Gn 3:17b

Mas Jesus removeu esta maldição com o Seu sacrifício:

“Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldito por nós ... Para que aos gentios viesse a bênção de Abraão em Jesus Cristo, a fim de que nós recebêssemos pela fé a promessa do Espírito.” Gl 3: 3a,14

Agora nenhum trabalho é vão no Senhor:

“Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor.” I Co 15:58

2. ECONOMIZANDO

O que se obtêm pelo trabalho não deve ser desperdiçado, antes deve-se atentar ao exemplo de Jesus:

“E quando estavam saciados, disse aos seus discípulos:

Recolhei os pedaços que sobejaram, para que nada se perca.” Jo 6:12

3. PLANEJANDO

Ao homem Deus conferiu inteligência para agir com bom senso e previdência:

“Pois qual de vós , querendo edificar uma torre, não se senta primeiro para calcular as despesas, para ver se tem com que a acabar?” Lc 14:28

4. INVESTINDO

Quando se investe as economias em um novo negócio está propiciando oportunidade para dar trabalho a outros.

“O coração do homem propõe o seu caminho, mas o Senhor lhe dirige os passos” Pv 16:9

5. CONFIANDO EM DEUS

Jesus nos ensina que não devemos fazer do trabalho objeto de preocupação, nos inquietando pelo que havemos de comer, beber ou vestir, pois Deus conhece nossas necessidades. Disse Jesus:

“Mas buscai primeiro o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.” Mt 6:32

USO DA MORDOMIA CRISTÃ

Deus conferiu sabedoria ao homem para ganhar e para gastar o que ganhou.

1. DIZIMANDO

O dízimo, que é 10% da renda, foi instituído por Deus para suprir as necessidades de sua igreja. A fidelidade ao dízimo propicia as bênçãos de Deus sobre o trabalho.

“Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim, diz o Senhor dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vos tal bênção, que dela vos advenha a maior abastança.’ Ml 3:10

2. OFERTANDO

A oferta é aquilo que se dá para suprir necessidades especiais da obra de Deus:

“Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, nem por constrangimento; porque Deus ama ao que dá com alegria.” II Co 9:8

3. NAS NECESSIDADES

Os gastos devem ser focalizados no atendimento das necessidades básicas, pois o supérfluo pode levar ao endividamento.

“Por que gastai o dinheiro naquilo que não é pão! e o produto do vosso trabalho naquilo que não pode satisfazer? ...” Is 55:2

“Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus nosso Senhor.” (Rm 6:23)

 

 

Estudo para novo convertido - 10/10

por PR. ANTONIO PACHECO

 

Amigo(a) e irmão(ã)

No primeiro estudo que você recebeu lhe foi dito: “ao aceitar a Jesus como seu Salvador e Senhor você tomou a decisão mais importante de sua vida.” Agora não menos importante é compartilhar com as vidas que o cerca sobre as suas experiências com Deus.

O IDE DE JESUS

Depois que Jesus ressuscitou encontrou-se com seus discípulos

“E disse-lhes:

Ide por todo o mundo, e pregai o evangelho a toda a criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado.

E estes sinais acompanharão aos que crerem: 

em meu nome expulsarão demônios; falarão novas línguas; pegarão em serpentes; e se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e porão as mãos sobre os enfermos, e estes serão curados.” Mc 16:15-18

E se nós analisarmos o que éramos compreenderemos a importância de levarmos a mensagem do Evangelho. Observe que Jesus nos outorgou de todo o poder necessário para o cumprimento desta grande comissão.

A IMPORTÂNCIA DO IDE

Sabemos que a salvação é pela fé em Cristo Jesus mediante a graça e que o meio pelo qual ela opera no indivíduo é a Palavra de Deus e atuação persuasiva do Espírito Santo.
Por isso lemos:

“Porque todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo.

Como pois invocarão aquele em que não creram? e como crerão naquele de quem não ouviram falar? e como ouvirão, se não há quem pregue? E como pregarão, se não forem enviados? assim como está escrito:

Quão formosos os pés dos que anunciam as coisas boas!” Rm 10:13-15 

Deus precisa em sua obra de mantenedores e pregadores, portanto todos podemos colaborar mediante o fruto do nosso trabalho e do nossos lábios.

O PODER DA ORAÇÃO

Diante de ameaças e obstáculos devemos buscar a Deus em oração para sermos cheios do Espírito Santo e assim continuar em obediência à grande comissão de Jesus, a exemplo da igreja primitiva:

“Ao ouvirem isto, levantaram unanimemente a voz a Deus e disseram:

Senhor, tu que fizestes o céu, a terra, o mar, e tudo o que neles há;  que pelo Espírito Santo, por boca de nosso pai Davi, teu servo, disseste: Por que se enfureceram os gentios, e os povos imaginaram coisas vãs?  Levantaram-se os reis da terra, e as autoridades ajuntaram-se à uma, contra o Senhor e contra o seu Ungido.

Agora pois, ó Senhor, olha para as suas ameaças, e concede aos teus servos que falem com toda a intrepidez a tua palavra, enquanto estendes a mão para curar e para que se façam sinais e prodígios, pelo nome de teu santo Servo Jesus.

E, tendo eles orado, tremeu o lugar em que estavam reunidos; e todos foram cheios do Espírito Santo, e anunciavam com intrepidez a palavra de Deus.” At 4:24-26, 29-31